hisham hm

A comparison between Linux and FreeBSD ps columns

Here’s a diff between which columns are supported in Linux and FreeBSD ps commands, with aliases cleaned up by hand. The lists were gathered from their respective manpages. This is based on ps from FreeBSD 11.0 and from Linux procps-ng 3.3.9.

--- freebsd-ps-columns.txt	2015-03-15 23:44:58.710635450 -0300
+++ linux-ps-columns.txt	2015-03-15 23:42:43.894637864 -0300
@@ -1,81 +1,84 @@
 %cpu
 %mem
-acflag
 args
-class
+c
+cgroup
 comm
 command
-cow
-cpu
-dsiz
-emul
+eip
+esp
 etime
 etimes
-fib
+euser
+fgid
+fgroup
 flags
+fname
+fuid
+fuser
 gid
 group
-inblk
-jid
-jobc
-ktrace
+ipcns
 label
-lim
-lockname
-logname
 lstart
+lsession
 lwp
+machine
 majflt
 minflt
-msgrcv
-msgsnd
-mwchan
+mntns
+netns
 nice
-nivcsw
 nlwp
-nsigs
-nswap
-nvcsw
 nwchan
-oublk
-paddr
+ouid
 pgid
 pid
+pidns
+policy
 ppid
 pri
-re
+psr
 rgid
 rgroup
 rss
 rtprio
 ruid
 ruser
+sched
+seat
+sgi_p
+sgroup
 sid
 sig
 sigcatch
 sigignore
 sigmask
-sl
-ssiz
+size
+slice
+stackp
 start
+stat
 state
+supgid
+supgrp
+suser
 svgid
 svuid
-systime
-tdaddr
-tdev
+sz
+thcount
+tid
 time
+tname
 tpgid
-tsid
-tsiz
 tt
 tty
 ucomm
 uid
-upr
-uprocp
+unit
 user
-usertime
+userns
+utsns
+uunit
 vsz
 wchan
-xstat


Para começar a entender a alta do dólar

Quem olhar só o primeiro gráfico (BRLxUSD, variação de 12 meses, screenshot que tirei na semana passada) vai entrar em pânico e achar “meu Deus, o Brasil isso-e-aquilo, olha o dólar!!!”

Mas aí a gente olha o segundo gráfico (BRLxEUR, mesmo período) e vê que em relação ao euro, o real segue na mesma toada do último ano, subindo e descendo numa janela de uns 13% de variação. Peraí, ué, como é que só o dólar sobe loucamente e o euro não?

A resposta tá no terceiro gráfico (USDxEUR, mesmo período) : não é o real que tá caindo, é o dólar que tá subindo em relação às outras moedas. Quem quiser, busque os gráficos em relação à libra esterlina, ao iene… todos iguais.

E se tiver curiosidade, repare também no gráfico da cotação do petróleo. É basicamente a mesma coisa na direção inversa. Aí as relações lógicas começam a se formar melhor.

Pra entender o mundo, tem que olhar pra ele inteiro.